DIAGNÓSTICO MOLECULAR E SOROLÓGICOS 
DE CASOS SUSPEITOS DE COVID-19

Por: Dra. Andréa Mendonça Gusmão Cunha, 
Laís Valéria Rezende Fiuza, João Henrique Fonseca do Nascimento e Dr. André Gusmão Cunha

    A tabela abaixo apresenta dados sobre o diagnóstico e interpretação dos resultados de exames laboratoriais indicados para detecção molecular ou sorológica do SARS-CoV-2 (Coronavírus associado a Síndrome da Angústia Respiratória Severa Tipo 2)) em casos suspeitos de COVID-19 (Doença Infecciosa causada pelo novo Coronavírus 2019).

      O teste padrão ouro segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde) é o RT- PCR (Transcrição Reversa seguida de Reação em Cadeia da Polimerase), um método de elevada especificidade que tem como objetivo detectar cópias do genoma RNA do SARS-CoV-2 em amostras do trato respiratório (Swab de nasofaringe e de orofaringe) de casos suspeitos de COVID-19. Esse método está indicado para diagnóstico precoce da COVID-19, apresentando maior sensibilidade em amostras coletadas nos primeiros dias de sintomas. É importante ressaltar que o teste de RT-PCR positivo (detectável) em amostras de pacientes sintomáticos, com suspeita de COVID-19, tem alta associação com risco de transmissão viral. Contudo, o RT-PCR pode apresentar resultado falso negativo no 1 ou 2 dias de sintomas, pois existe uma janela molecular, que depende do um número mínimo de cópias virais para apresentar resultado detectável. Também é importante ressaltar que o RT-PCR detecta apenas o genoma viral e não indica viabilidade viral. Alguns pacientes podem apresentar RT-PCR detectável (positivo) em uma fase recuperada da doença e isso não significar vírus viável, pois vírus defectivos, presentes nas secreções respiratórias, podem resultar em teste de RT-PCR positivo (detectável), porém esse achado laboratorial é um evento raro. Em geral, um paciente recuperado deve apresentar resultado de RT-PCR negativo (não detectável).

     Os testes sorológicos podem ser realizados com diferentes metodologias, testes rápidos, Elisa, Quimioluminescência, Imunofluorescência, tem como objetivo pesquisar a presença de anticorpos produzidos na resposta imune específica contra o SARS-CoV-2. Atualmente, além das diferentes metodologias, existem muitos kits sendo comercializados e com diferentes porcentagens de sensibilidade, o que torna difícil a confiabilidade desses resultados. A detecção sorológica, confirma exposição ao SARS-CoV-2, mediante detecção de anticorpos das classes IgM e ou IgG. Anticorpos IgM são marcadores de infecção recente, fase precoce da infecção, podendo o paciente positivo estar na fase aguda e replicativa, na fase de convalescência ou recuperado, pois o tempo de detecção do IgM pode ocorrer entre a 3 e 4 semana e após a 5 semana começa a diminuir seus níveis no organismo, quase desaparecendo na 7 semana. Anticorpos da classe IgG são marcadores de infecção passada, anticorpos de memória, relacionados a imunidade, presente nos pacientes recuperados, podendo permanecer por longos períodos ou até por toda vida, mas que no caso da COVID-19, esse período ainda não foi determinado, o tempo de detecção do IgG é aproximadamente no 14° dia da infecção variando do 10° a 18° dia. A maioria dos testes sorológicos recomendam a execução desses testes a partir do 8° dia de sintomas, sendo que alguns fabricantes recomendam a partir do 10° dia de sintomas.

      Devido ao exposto, recomendamos muito cuidado ao interpretar testes moleculares e sorológicos no diagnóstico e monitoramento dos casos suspeitos de COVID-19 em meio a pandemia.

REFERÊNCIAS:

FAQs on Diagnostic Testing for SARS-CoV-2/ FDA (https://www.fda.gov/medical-devices/emergency-situations-medical-devices/faqs-diagnostic-testing-sars-cov-2#testkit).

Serology testing for COVID-19 (https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/lab/serology-testing.html).

GUO, Li; REN, Lili; YANG, Siyuan; et al. Profiling Early Humoral Response to Diagnose Novel Coronavirus Disease (COVID-19). p. 1-28, 2020. Disponível em: <https://doi.org/10.1093/cid/ciaa310>.

LONG, Quan-Xin; LIU, Bai-Zhong; DENG, Hai-Jun; et al. Antibody responses to SARS-CoV-2 in patients with COVID-19. Nature Medicine, p. 1-4, 2020. Disponível em: <https://www.nature.com/articles/s41591-020-0897-1>.

SETHURAMAN, Nandini; STANLEYRAJ, Sundararaj; CITY, Yokohama; et al. Interpreting Diagnostic Tests for SARS-CoV-2. v. 2019, p. 2019-2021, 2020, Jama. Disponível em: <https:// doi:10.1001/jama.2020.8259>.